Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

‘Não vão nos calar’, diz Francischini após 2ª Turma do STF manter cassação

Compartilhe:
e482d0b6-3951-49af-b8b8-a9802d2f3267

Após o julgamento da 2ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) hoje, o ex-deputado estadual pelo Paraná Fernando Francischini (União-PR) foi às redes sociais posicionar-se contrário à decisão que mantém sua cassação. Apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL), o ex-parlamentar está sendo julgado por ter divulgado fake news durante as eleições de 2018.

Em seu perfil na rede social Twitter, o ex-deputado destacou os ministros que votaram contra a anulação de sua cassação, Edson Fachin, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes. Além disso, afirmou que o seu caso “tornou-se uma causa muito maior”, chamando-o de ataque à liberdade de expressão.

Não vão nos calar! Por 3×2 no STF, a liberdade de expressão nas redes sociais sofreu novo ataque. Com votos contrários de Fachin, Lewandowski e Gilmar. A causa agora é muito maior!”, escreveu.

A decisão de sua cassação, emitida pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em outubro do ano passado, havia sido revertida pelo ministro Nunes Marques do STF, na última semana. Esse julgamento do Supremo derruba a decisão de Marques.

Em vídeo acompanhando sua publicação, o deputado Francischini mantém-se firme em sua causa, lembrando do julgamento do recurso extraordinário – e adicionando que “nossa batalha pelo mandato de 427 mil paranaenses não acabou”.

“Nosso recurso extraordinário ainda não foi julgado no STF, nossa batalha pelo mandato de 427 mil paranaenses não acabou, tornou-se uma causa muito maior – a luta pela liberdade de expressão de todo cidadão nas redes sociais. Não vão nos calar”, disse.

Deixe seu comentário: